Marca do CREA-PA para impressão
Disponível em <https://creapa.org.br/crea-para-propoe-criacao-de-grupo-de-trabalho-gt-da-cop-30-do-sistema-confea-crea-e-mutua/>.
Acesso em 29/02/2024 às 13h07.

CREA PARÁ propõe criação de Grupo de Trabalho (GT) da COP 30 do Sistema Confea/Crea e Mútua

De acordo com a presidente Adriana, o impacto das mudanças climáticas sobre as atividades humanas (na agricultura, indústria e comércio), assim como sobre a infraestrutura das cidades, não poderá ser mitigado sem a atuação efetiva dos profissionais do sistema CONFEA/CREA/MÚTUA.

1 de dezembro de 2023, às 13h24 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

A presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Pará (CREA-PA), Eng. Civil Adriana Falconeri, apresentou, durante a 5ª Reunião do Colégio de Presidentes do Sistema Confea/Crea e Mútua, nesta sexta-feira (01/12), em Foz do Iguaçu – PR, a proposta de criação do Grupo de Trabalho (GT) da COP 30, do Sistema CONFEA/CREA/MÚTUA. A proposta, oriunda do Fórum dos CREA’s da Região Norte, foi aprovada por unanimidade pelos presidentes.

O objetivo do Fórum é buscar mecanismos e tornar o Sistema, e consequentemente os profissionais, partícipes desse grande momento, e demostrando que em nosso país há profissionais capacitados para discutir e propor as melhores soluções para alcançar o principal objetivo da COP, que é combater as mudanças climáticas em todo o mundo.

De acordo com a presidente Adriana, o impacto das mudanças climáticas sobre as atividades humanas (na agricultura, indústria e comércio), assim como sobre a infraestrutura das cidades, não poderá ser mitigado sem a atuação efetiva dos profissionais do sistema CONFEA/CREA/MÚTUA.

O Pará está inserido na maior bacia hidrográfica do planeta, dotada de uma infinidade de recursos hídricos que podem ser encontrados tanto na superfície (por exemplo, no Marajó: maior arquipélago flúvio-marítimo da terra, localizado na foz do rio Amazonas), quanto no subterrâneo – grande parte do maior aquífero do mundo em volume de água disponível encontra-se nos limites do território paraense.

Segundo a representante do Regional paraense, os engenheiros e geocientistas paraenses, que há anos vem apoiando os demais profissionais dos outros seis estados da região amazônica (AM, AC, RR, RO, AP, TO), demandam agora o apoio de todo o Sistema CONFEA/CREA/MUTUA para identificação de oportunidades e elaboração de propostas  de engenharia que possam contribuir para a melhoria da qualidade de vida, não apenas da população do estado do Pará, mas também de todos os habitantes do planeta terra.

“Não há como discutir soluções climáticas, sem se discutir engenharia e geociências. E não há como discutir engenharia sem a participação dos profissionais”, destaca Adriana Falconeri.

A presidente do CREA-PA, Eng. Civil Adriana Falconeri, a presidente do CREA do Rio Grande do Sul, Eng. Ambiental Nanci Walter, e o presidente do CREA do Espirito Santo, Eng. Jorge Silva, foram eleitos para conduzir o Grupo de Trabalho da COP 30.

“Agradecer a todos os presidentes de CREAs pela unanimidade na indicação ao meu nome para compor o GT da COP 30, do nosso Sistema Profissional. Pela 1ª vez teremos essa importante Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP-30) que ocorrerá em Belém – PA em novembro de 2025. Para nós do Rio Grande do Sul que passamos por fortes chuvas que causaram enchentes em várias regiões em um curto espaço de tempo, será muito importante nossa participação nesse importante GT e que recentemente fomos convidados para fazer parte do Gabinete de Crise Climática no âmbito das estratégias do ProClima50”, disse a presidente do Regional Gaúcho, Nanci Walter.

O presidente do CREA do Espirito Santo, Eng. Civil Jorge Silva, reforçou a importância do grupo de trabalho do Sistema para discussões e elaboração de propostas de engenharia que possam contribuir para o enfrentamento dos impactos negativos relacionados as mudanças climáticas.