Marca do CREA-PA para impressão
Disponível em <https://creapa.org.br/ministro-bruno-dantas-destaca-papel-etico-da-engenharia/>.
Acesso em 23/04/2024 às 05h57.

Ministro Bruno Dantas destaca papel ético da Engenharia

20 de fevereiro de 2024, às 16h04 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Ministro Bruno Dantas.

Transparência, governança e profissionalização dos conselhos. Com essa proposta que dialoga com a importância do sistema profissional dos engenheiros, agrônomos e geocientistas, o presidente do Tribunal de Contas da União – TCU, ministro Bruno Dantas, promoveu, nesta terça (20/2), a palestra magna do 13º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua.

“Transparência para permitir que a categoria fiscalize as atividades do Conselho. Governança pública para saber aonde chegar e medir os resultados para que isso permita uma calibragem da caminhada. E profissionalização da gestão com pessoas capacitadas em recursos humanos, tecnologia da informação, controle interno. Não se pode estabelecer um plano de fiscalização sem ser coerente com os braços do conselho, mas esse plano precisa existir e precisa ser observado”, considerou ao final da explanação, acompanhada pelos profissionais que lotaram o auditório principal do Centro Internacional de Convenções do Brasil – CICB, em Brasília.

Para ele, a percepção da qualidade do trabalho dos conselho profissional vai se elevar bastante por meio dessas medidas. “Os auditores são treinados para encontrar problemas. Os engenheiros são treinados para construir soluções. É preciso que, a partir de uma boa governança, a categoria dos senhores esteja livre para exercer a sua qualidade técnica e para a classe perceber que tem um conselho que pune e assim ser um conselho respeitado pela sociedade”, complementou.

Segundo o ministro, o Sistema Confea/Crea tem uma arrecadação em torno de 1 bilhão de reais, no entanto, precisa melhorar no ranking de transparência conduzido pelo TCU. “É possível fazer nos Creas medidas de transparência ativa para que os profissionais saibam que seus recursos estão sendo bem empregados. Temos cobrado que os conselhos tenham um plano estratégico. Os senhores precisam se reunir e decidir como vai ser feita a fiscalização dos profissionais, proporcionando um incremento aos profissionais do ramo”.

Plano estratégico e ética
Para isso, continua, é preciso que cada Crea e o Confea tenham um plano estratégico, mirando um ponto no futuro, definindo uma estratégia e quais são os valores que inspiram a categoria e também por uma caminhada que esteja orientada por padrões éticos irrepreensíveis. “A percepção da população está mais associada à conduta do que pelo serviço que ele presta.  As instâncias de governança dos Creas e do Confea têm uma importância muito grande. Vocês precisam fazer valer um padrão ético elevadíssimo. Não podemos permitir que haja uma confusão de responsabilidades porque isso é a senha para abusos.  É preciso profissionalizar”.

Presidente do CREA-PA, Adriana Falconeri, presidente do CREA-SP, Lígia Mackey.

A profissionalização da gestão dos conselhos é um imperativo que a população e os profissionais da área esperam para todas as categorias de profissionais da área, conclama ainda o ministro Bruno Dantas. “Os senhores têm liberdade para estabelecer as cláusulas dos seus contratos, e exatamente por isso cada um dos senhores e senhoras precisa perceber que o profissionalismo está sendo percebido naquele órgão que fiscaliza a sua categoria”.

Henrique Nunes
Equipe de Comunicação do Confea

Fotos: Santo Rei Produtora Audiovisual/Confea